Sou

A minha foto
Portalegre, Portugal
"Sonho que sou alguém cá neste mundo... Aquela de saber vasto e profundo, Aos pés de quem a Terra anda curvada! E quando mais no céu eu vou sonhando, E quanto mais no alto ando voando, Acordo do meu sonho...E não sou nada!..." Florbela Espanca

sábado, 30 de junho de 2012

Cidade Nua





Foto retirada da net




A cidade continua nua
As suas vestes rasgaram-se com o rigor dos invernos
E os pedaços de trapo que sobraram desfizeram-se
Sob o ácido do sol nos dias quentes de verão.
Procuro ainda marcas da Primavera que gravavas em cada rua
Mas nada sobejou.
As estátuas permanecem sem vida
à espera do calor do teu olhar...
Nesta cidade me perco
Apenas sentindo o seco estalido
Das folhas que meus pés errantes pisam sem ouvir.



(reeditado)


39 comentários:

  1. Ofereço-te então a cidade da Utopia
    É uma cidade também nua
    mas não como essa tua
    É uma cidade despedida de medos
    É uma cidade desnudada de maus enredos
    É uma cidade em que podemos viajar
    no seu corpo sem nos perdermos
    É uma cidade onde não sofremos
    É a cidade da Utopia
    Desperta para ser amada
    de noite
    de dia

    Se existe?
    Mas que é existir,
    se um poeta não conhece a fronteira do sonho?

    ResponderEliminar
  2. Sons e sensações. Lembranças.
    Um grande bj

    ResponderEliminar
  3. Obrigada pelo abraço e carinho,senti-os daqui
    beijo grande

    ResponderEliminar
  4. A cidade veste-se de Luz, sempre que o Amor ande nela.
    Depois, as recordações, fazem-na reviver com uma nova infância.

    Beijos

    SOL

    ResponderEliminar
  5. A Primavera permanecerá em nós eternamente... não a sentes?

    (Que lindo presente que o Rogério te ofereceu)

    ResponderEliminar
  6. Sobejou a saudade, essa não termina.
    Sandra amei! mas é dificil acrescentar algo para não estragar a magia.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  7. Cidade nua
    Das árvores de folhas despidas
    cobrindo o chão daquela rua
    As folhas das árvores caídas!

    Quando o outono chega
    Secas caiem as folhas para o chão
    Até à primavera seguinte permaneça
    O verde esperança e folhas voltarão!

    Bom fim de semana para você,
    amiga Sandra.
    Um beijo
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  8. As pedras têm vida

    na memória dos sentidos
    Tudo se move

    ResponderEliminar
  9. Entre a primavera vivida e a doída saudade, um olhar que ainda não cobriu a nudez da cidade, fazendo-a despertar. Bjs.

    ResponderEliminar
  10. Cidade nua, repleta de gente...

    muito bonito Sandra.
    beijinho
    cvb

    ResponderEliminar
  11. Nos dias em que caminhamos nas ruas vazias, com folhas secas caídas ao chão jogadas pelo vento e ouvimos os nossos passos na calçada, são os dias em que vemos a cidade nua, bonito! Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  12. Pés caminham sobre o manto
    Que aos pés da urbe caiu
    Expondo todo o encanto
    Nos pés de um verso Subtil.


    Beijos.

    ResponderEliminar
  13. Amiga,
    Um poema belíssimo!
    Uma cidade nua, muitas cidades nuas num tempo em que as estátuas continuam sem vida.
    Um beijinho,
    Ailime

    ResponderEliminar
  14. Se olharmos a fundo sempre notaremos a nudez das cidades...Um belo poema amiga, gostei de sua colocação. Um bom domingo. Beijos!!

    ResponderEliminar
  15. Que linda poesia,Sandra!Onde andará a primavera?Adorei te visitar!bjs e boa semana!

    ResponderEliminar
  16. Boa noite amada!
    Lendo seu encantador poema fico a pensar nas palavras escritas com maestria...
    bjssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  17. Sandra, tudo bem?
    Quando se senti "o seco estalido
    Das folhas que meus pés errantes pisam sem ouvir."
    É porque se faz uma caminhada sem rumo, desconcertada pelo desamor que apavora sentimentos, que assusta a vida.

    Beijos e ótima semana, para ti e te teus filhos!

    ResponderEliminar
  18. Oi Sandra...

    Lindo e melancolico seu poema!!
    Que chegue a primavera...antes tarde do que nunca..

    Um beijo e uma semana de paz a vc!!!

    ResponderEliminar
  19. "As estátuas permanecem sem vida
    à espera do calor do teu olhar..."

    As cidades estão nuas
    as folhas caídas
    mostram a falta
    dos que passam e não voltam.

    Apenas ficam os silêncios misteriosos
    que tanto dizem...à nossa caminhada.

    Lindo! Gostei de a encontrar!

    Maria Luísa

    ResponderEliminar
  20. Essa nudez na verdade é o vazio da alma,,,o frio que acolhe o peito e o coração....beijos de linda semana pra ti amiga.

    ResponderEliminar
  21. A doce primavera logo estará de volta para alegrar a todos, mas é bom que tenha o outono e o inverno para que possamos nos reciclar e nos lapidar para a primavera poder aproveitar...um beijo em seu coração e uma linda semana.

    ResponderEliminar
  22. Bom Dia!
    Obrigada pela visita e palavras gentis.
    Estou te seguindo e virei te ler toda vez que tu
    postares algo ok?
    "As cidades sempre se desnudam
    quando o outono se vai e leva
    contigo os ventos que fazem as
    folhas cairem ao chão e preparam
    as flores para o novo ciclo que
    deverá chegar então!"
    Adoro interagir, aos poucos tu irás entender
    como eu sou...Bjinhos carinhosos e seja Bem Vinda!

    ResponderEliminar
  23. Olá,Sandra!

    Belo e forte poema!Tão difícil a espera por uma nova primavera...tudo fica tão sem vida.Um poema pleno de significados!
    Beijos!
    Ótima semana!

    ResponderEliminar
  24. As vezes, andamos à volta....
    Não olhamos para nada....apenas conhecemos a sombra dos dias...
    Lindo....
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  25. Dia de alegria, dia de glória, dia de vivenciar cada minuto e guardá-lo como um precioso tesouro.
    Deus com seu infinito poder está em toda parte,
    ao meu redor dentro de você e dentro de mim..
    Hoje estou duplante feliz meu liro mal
    acabou de nascer.
    E as 18.48 horas e quarenta e oito minutos
    inicio dessa noite nasceu minha bisnetina(LARA)
    Venho compartilhar contigo minha felicidade.
    O nascimento do meu livro foi muito emocionate,
    mais o nascimento da minha bisneta isso
    não da para descrever.
    Deus abençoe sua semana.
    Carinhosamente.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  26. Boa noite Sandra querida


    Sempre lindos teus poemas...

    Beijos
    Ani

    ResponderEliminar
  27. Ouvidos tapados pela solidão do olhar.
    Lindo, Sandra querida!
    Bj imenso, poeta

    ResponderEliminar
  28. O q dizer desse poema de amor...simplesmente lindoooo!

    bjos!

    ResponderEliminar
  29. Um belo dia pra ti minha amiga,,,beijos e poesias.

    ResponderEliminar
  30. Querida amiga Sandra,
    Em cada passo, em cada olhar, sente-se a força das palavras e a tristeza de uma cidade vazia.
    Sons e olhares à espera de vida em mais uma poesia belíssima.
    Uma pintura!
    Grande abraço

    ResponderEliminar
  31. É refletir a cidade
    e suas folhas mortas
    nos estalidos das pisadas
    urbanas insanas sem sentido
    as vezes perdido
    mas a poeta sabe
    da sua perdição
    e escreve um poema
    mui belo assim

    Luiz Alfredo - poeta

    ResponderEliminar
  32. Certamente muitas das nossas cidades estarão nuas, vazias de ti.
    Procuramos amor disperso onde ele se vestiu de silêncio e nem as folhas ressequidas da sua vida conseguimos ouvir debaixo dos nossos pés errantes.

    ResponderEliminar
  33. Olá, boa noite!
    Problemas várias fazem com que só agora regresse aos blogs.

    * Pois, amiga! Todos nós pisamos e repisamos as folhas que jazem pelo chão!

    Bjssss

    ResponderEliminar
  34. as nossas cidades, esvaziam-se de nós e de tudo
    o irremediável regresso, tão doloroso e ao mesmo tempo vigorante...

    beijinho

    ResponderEliminar
  35. Beleza e plenitude em seus versos. Aplausos!

    ResponderEliminar

"A poesia é o sentimento que sobra ao coração e sai pela mão."
(Carmen Conde)